Luís Montenegro trouxe ao debate quinzenal com o Primeiro-ministro no Parlamento uma troca de correspondência entre o anterior presidente da CGD e o ministro das Finanças hoje divulgada pelo jornal online ECO, segundo a qual António Domingues teria acordado com Mário Centeno a dispensa de apresentar a sua declaração de rendimentos ao Tribunal Constitucional.

Luís Montenegro recordou que, em anterior debate quinzenal, António Costa tinha respondido ao líder do PSD, Pedro Passos Coelho, não ter explicação para a demissão de António Domingues e até a considerar estranha.

“Não estranha que o seu ministro das Finanças lhe tenha ocultado o teor da correspondência com anterior presidente da Caixa ou afinal o senhor primeiro-ministro sabia”, questionou o líder parlamentar do PSD, desafiando António Costa a explicar qual é a situação da Caixa.

Na resposta, o primeiro-ministro pegou na última parte da pergunta e não se referiu à situação do ministro das Finanças.

“Olhe, o que se passa hoje na CGD é que está dotada dos recursos necessários para ter a capitalização de que necessita para não ser privatizada como o seu governo desejava”, respondeu António Costa.

“O que se passa é que a Caixa não será nem um novo BES nem um novo Banif porque já não é tutelada por V. Exas mas por um Governo que não esconde os problemas financeiros do setor bancário”, acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.