"Estou aqui para homenagear Jacques Chirac, mais até o seu lado humanista. Sinto que estamos a virar uma página da nossa história e é por isso que todas a gerações lhe estão a prestar homenagem", disse Catherine, parisiense que está desde cedo em frente à igreja, em declarações à agência Lusa.

As cerimónias fúnebres do antigo Presidente acontecem depois de um fim de semana de homenagem constante e em dia de luto nacional, decretado pelo Governo.

No domingo, milhares de franceses prestaram homenagem ininterrupta até de madrugada no Palácio Nacional Les Invalides, onde ficaram os restos fúnebres do antigo Presidente.

Esta manhã, o Presidente Emmanuel Macron prestou as honras militares ao seu antecessor e o corpo de Jacques Chirac seguiu para a igreja, onde é aguardado por líderes de todo o Mundo, como Vladimir Putin, Sergio Matarella, Frank-Walter Steinemeier ou Abdallah II da Jordânia.

Também antigos presidentes vão marcar presença como Bill Clinton, o antigo chanceler Gerhard Schroder ou o antigo primeiro-ministro espanhol José Luis Zapatero. Portugal será representado pelo antigo Presidente António Ramalho Eanes.

Mas também centenas de pessoas decidiram vir até esta igreja na capital onde a cerimónia, conduzida pelo Arcebispo de Paris, Michel Aupetit, será projetada em ecrãs gigantes.

"Vim aqui porque é um homem que sempre admirei pelo seu carisma, pelo seu sorriso, sempre gostou das pessoas e das multidões. Uma pessoa verdadeiramente simpática", indicou Christelle, que vive dos arredores de Paris, mas é originária da Martinica, departamento ultramarino de França.

"Eu sou da Martinica e ele ia muito lá e tentou sempre dar melhores condições de vida às pessoas, promoveu mais habitação e mais ajudas para as famílias", contou.

Catherine trabalhava para a televisão pública e conheceu-o quando ajudou a organizar o equivalente ao Natal dos Hospitais com a antiga primeira-dama Bernardette Chirac.

"Ela convidou-nos para o Eliseu, fomos todos recebidos por ela e ele também apareceu, sempre com um sorriso simpático para todos", disse a parisiense.

Apesar de ausente da vida pública nos últimos anos devido ao seu estado de saúde, os mais novos não se esquecem dele.

"Quis dizer-lhe adeus. Nunca pude votar por ele porque não tinha idade, mas ele é o Presidente da minha infância e estava todos os dias connosco na sala de estar graças à televisão", disse Myriam, que veio dos arredores da capital para marcar presença nesta cerimónia.

Jacques Chirac foi Presidente de França entre 1995 e 2007 e morreu na semana passada aos 86 anos.

O enterro de Jacques Chirac vai decorrer no cemitério de Montparnasse durante a tarde, numa cerimónia reservada apenas à família.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.