Segundo a Comissão Nacional de Saúde da China, os seis casos de contágio local foram diagnosticados na província de Jilin, que faz fronteira com a Rússia e a Coreia do Norte, e onde na última semana foram detetados cerca de trinta casos.

As províncias de Jilin e Heilongjiang registaram um aumento repentino de casos, nas últimas semanas, devido à chegada de chineses infetados com a doença vindos da Rússia, segundo as autoridades.

A Comissão indicou que, até às 23:59 de terça-feira (16:59 em Lisboa), 18 pacientes receberam alta, fixando o número de infetados ativos em 104, entre os quais dez estão em estado grave.

Desde o início da epidemia, a China registou 82.926 infetados e 4.633 mortos devido à Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Até ao momento, 78.189 pessoas tiveram alta.

As autoridades chinesas referiram que 737.901 pessoas que tiveram contacto próximo com infetados estiveram sob vigilância médica na China, entre as quais 5.317 permanecem sob observação.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 290 mil mortos e infetou mais de 4,2 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

A pandemia teve origem em Wuhan, uma cidade do centro da China, em dezembro passado.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.