Os primeiros sinais da crise chegaram ao Choupana Hills em 2008, agravando-se até 2010. Dois anos depois, em maio de 2012, o BES pediu a insolvência na sequência de uma dívida na ordem dos 700 mil euros à data, escrevia o Diário de Notícias da Madeira.

Em agosto desse ano, adianta a Lusa, a divida do Choupana Hills superava os 15 milhões de euros, e entre os principais credores estavam bancos - BES, BCP, Caixa Geral de Depósitos e Banif -, as Finanças e a Segurança Social.

No âmbito deste processo, o empreendimento turístico passou a ser gerido pelo fundo Amazing Evolution, que já garantiu que os hóspedes do hotel foram “realojados em segurança”.

“O Choupana Hills foi, esta noite [10 de agosto], atingido pelas chamas no incêndio que está a devastar a Madeira. O plano de emergência foi executado com sucesso, não havendo feridos a registar entre os hóspedes ou colaboradores do hotel”, adiantou a empresa num comunicado enviado às redações.

"Até agora, não foi possível avaliar os prejuízos, uma vez que ainda não foi possível ter acesso à propriedade. Os hóspedes foram todos realojados em segurança", pode ler-se na nota.

Apesar das dificuldades económicas que enfrentava, este hotel madeirense conquistou vários World Travel Awards, um género de óscares do turismo, tendo sido distinguido como “Europe's Leading Boutique Hotel” e “Portugal's Leading Spa Resort" em 2004, como “Europe's Leading Boutique Resort" em 2014, e como “Europe's Leading Boutique Resort" e “Portugal's Leading Spa Resort” em 2015.

O hotel de cinco estrelas com, vista sobre a baía do Funchal, inaugurado em 2002, na sequência de um investimento de 24 milhões de euros, estendia-se por 17 hectares e tinha 64 quartos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.