"Há ainda atores que vão intervir nessa decisão, mas não deve haver muitos problemas", referiu aos jornalistas, à margem da inauguração do segundo ‘call center’ (centro de contacto) da Altice em Vieira do Minho.

A Altice, que comprou há dois anos a PT Portugal, anunciou em 14 de julho que chegou a acordo com a Prisa para a compra, por 440 milhões de euros, da Media Capital SGPS, SA, que detém a TVI.

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) tem de se pronunciar sobre a operação, sendo o seu parecer vinculativo.

O parecer final sobre o negócio caberá à Autoridade da Concorrência.

Apesar de se manifestar confiante na concretização do negócio sem muitos problemas, Armando Pereira admitiu que o Governo português "não facilita as coisas" ao grupo francês.

Em 12 de julho, durante o debate do estado da Nação, no parlamento, o primeiro-ministro, António Costa, manifestou-se apreensivo com o futuro da PT, agora propriedade da multinacional Altice, temendo mesmo pelo futuro de postos de trabalho e apontando a uma das operadoras "falhas graves" no incêndio de Pedrógão Grande.

"Receio bastante que a forma irresponsável como foi feita aquela privatização possa dar origem a um novo caso Cimpor, com um novo desmembramento que ponha não só em causa os postos de trabalho, como o futuro da empresa", declarou o primeiro-ministro.

[Nota: O SAPO24 é a marca de informação do Portal SAPO, propriedade da MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A., detida pelo Grupo Altice]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.