“Encontrem soluções que permitam uma transição equilibrada e que respeite todos os princípios de liberdade de expressão e informação consagrados na Carta Europeia dos Direitos Fundamentais e na declaração Universal dos Direitos Humanos”, afirmam em comunicado hoje divulgado.

As organizações representativas da comunicação social, naquele comunicado, apelam também ao parlamento para que “exclua a atividade jornalística, e os media em geral”, da aplicação do regulamento comunitário.

Entre os signatários do documento estão o Sindicato dos Jornalistas, a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista, a Casa da Imprensa, a Associação Portuguesa de Radiodifusão, o Clube de Jornalistas, a Associação Portuguesa de Imprensa ou o Clube Nacional de Imprensa Desportiva.

O regulamento, depois de dois anos em vigor para ser adaptado à realidade de cada país, através de legislação nacional, entra na sexta-feira em vigor com novas regras de proteção de dados que reforçam o direito dos europeus a autorizarem ou não o tratamento dos seus dados pessoais, sabendo o fim desse tratamento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.