Duas semanas após o concerto do grupo ‘Love of Lesbian’, os participantes foram submetidos a testes PCR e “não há sinais que indiquem que a transmissão tenha tido lugar durante o evento, o que era o objetivo deste estudo”, disse numa conferência de imprensa Josep Maria Llibre, médico do Hospital Germans Trias i Pujol de Badalona, nos arredores de Barcelona.

Os médicos presentes relataram que, entre as 4.592 que assistiram ao concerto e que deram o seu consentimento para permitir a análise dos resultados dos testes à covid-19, apenas seis pessoas foram diagnosticadas positivas, quatro das quais não foram infetadas no evento.

De acordo com os investigadores, a incidência acumulada entre os participantes no espetáculo nos 14 dias seguintes ao evento “não sugere qualquer impacto na transmissão de covid-19 durante o concerto”.

“Com uma ventilação otimizada, testes antigénicos e uso de máscara, um espaço seguro pode ser garantido”, acrescentou Josep Maria Llibre.

Para além de testes e máscaras FFP2, a ventilação, bem como a capacidade de acolhimento em áreas críticas, tais como casas de banho, foram rigorosamente controladas.

Preparada por um grupo de organizadores de festivais, promotores musicais e pelo Hospital Germans Trias i Pujol para mostrar que os concertos são possíveis apesar da pandemia, esta experiência foi uma das poucas na Europa no setor musical.

Os organizadores dos “Festivais para uma Cultura Segura” descreveram a iniciativa como um “sucesso” e disseram que “começa a haver luz ao fundo do túnel”, segundo o diretor do Festival Cruilla, Jordi Herreruela.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.