A polícia estadual do Rio de Janeiro disse que o incidente ocorrido na sexta-feira à noite foi provocado por quatro homens fortemente armados invadiram uma esquadra e abriram fogo.

As vítimas foram atingidas num tiroteio na perseguição policial aos atacantes que se seguiu.

O episódio acontece dois dias depois de a vereadora Marielle Franco e o seu motorista terem sido assassinados.

Já no sábado, outro confronto entre a polícia militar e traficantes de droga, na favela da Rocinha, com um tiroteio que durou mais de 20 minutos segundo o portal de notícias brasileiro ‘G1′, assustou moradores e motoristas de autocarros que passam pela autoestrada que liga a região com a zona da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, tendo a estrada sido encerrada ao trânsito durante meia hora.

Os disparos atingiram uma rede elétrica, tendo provocado um incêndio, segundo o ‘G1′, que acrescenta que a Polícia Militar informou que o tiroteio teve início quando o Batalhão de Choque desta polícia fazia patrulha num local conhecido como ‘Roupa Suja’ e foi atacado a tiro por traficantes de droga.

O portal de notícias acrescenta que ninguém foi preso.

Em fevereiro o Governo brasileiro colocou sob custódia militar a polícia do Rio de Janeiro, mas sem efeitos visíveis na melhoria da segurança na cidade até ao momento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.