Em Tunes, várias centenas de jovens atiraram pedras e cocktails Molotov contra as autoridades sobretudo em Ettadhamen, um bairro situado na periferia da capital.

As forças da ordem dispararam granadas de gás lacrimogéneo contra os manifestantes.

Em Sfax, na segunda cidade mais populosa do país, durante os protestos foram incendiados pneus no meio das ruas.

Durante a noite registaram igualmente confrontos em Gafsa, onde os habitantes se revoltaram contra a proibição dos pontos de venda ambulante.

De acordo com a imprensa local, verificaram-se também alterações da ordem pública em Ket, na zona a norte de Bizert; Kasserine e e em Sousse.

O Ministério do Interior da Tunísia que anunciou na segunda-feira mais de 600 detenções em virtude das manifestações ainda não forneceu os dados referentes a eventuais detidos nas últimas horas.

Paralelamente, os confrontos ocorrem numa altura em que se assinalam os 10 anos da revolução que afastou do poder o regime policial de Zine el Abidine Ben Ali.

Ao mesmo tempo, a crise económica provocada pelos efeitos das medidas adotadas contra a pandemia de covid-19 vieram exacerbar a situação política e social na Tunísia.

O governo impôs na semana passada um confinamento geral de quatro dias como ação contra a propagação do novo coronavírus no país receando o agravar do surto que se verifica na Tunísia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.