Andrew Sabisky, recentemente nomeado para trabalhar em Downing Street, anunciou a renúncia ao cargo no Twitter, considerando que foi vítima de um caso de "gigante de difamação" por parte dos media, que deveria "parar de selecionar os seus assuntos".

Sabisky é acusado de ter dado a entender que os negros americanos teriam uma inteligência inferior aos seus compatriotas brancos.

Em 2014, o agora ex-conselheiro também escreveu no blog de Dominic Cummings, o assessor especial de Boris Johnson, que "impor contraceptivos legalmente desde o início da puberdade seria uma maneira de resolver problemas indesejados de gravidez que criam uma subclasse permanente".

"A histeria dos  media dia em torno das minhas antigas publicações na Internet é loucura, mas eu quero ajudar o governo", escreveu Sabisky, acrescentando que tinha "muitas outras coisas para fazer" na vida.

Na segunda-feira, o gabinete do primeiro-ministro recusou-se a dizer se Boris Johnson iria condenar os comentários de Sabisky.

"É nojento que Downing Street não tenha condenado os horríveis comentários de Andrew Sabisky, mas também pareça aprovar que os brancos são mais inteligentes que os negros", criticou o presidente do Partido Trabalhista, Ian Lavery, na segunda-feira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.