O almoço, que decorreu no refeitório da Mesquita de Lisboa, reuniu mais de 500 idosos da freguesia de Campolide e mais de 50 jovens voluntários, incluindo da comunidade islâmica, nas contas da organização.

Para o vice-presidente da Comunidade Islâmica de Lisboa, Mahomed Abed, tratou-se, mais uma vez, de um ato de "compaixão pelas pessoas", ao "proporcionar uma refeição mais elaborada para idosos e carenciados" não muçulmanos.

Para vários idosos abordados pela Lusa, foi "mais o convívio" entre vizinhos, "e não a refeição", que os levou ao almoço, num gesto que não foi uma estreia.

Na cozinha do refeitório ultimava-se a preparação de uma salada. Na sala, e já com os comensais sentados, jovens serviam sopa em jarros de plástico, circulando por entre mesas metálicas redondas.

Khalid Jamal. "As religiões são o elo mais fraco"
Khalid Jamal. "As religiões são o elo mais fraco"
Ver artigo

Em mesas corridas dispunham-se iguarias como bolos, gelatinas ou empadas.

Depois do almoço, um cabaz com diversos alimentos, como leite, arroz, massa, atum, salsichas e bolachas, seria entregue a 200 famílias com carências económicas.

O almoço de Natal, para o qual os participantes se inscrevem na Junta de Freguesia de Campolide, é uma das iniciativas solidárias da Comunidade Islâmica de Lisboa.

Duas vezes por mês, às sextas-feiras, são servidas no refeitório refeições para muçulmanos e não muçulmanos carenciados, na "Sopa para todos". A comunidade faz também chegar comida aos que vivem na rua.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.