Numa declaração, os procuradores  que investigam o caso de corrupção que levou à renúncia da presidente Park Geun-Hye indicaram hoje ter solicitado a um tribunal de Seul a detenção de Lee Jae-Yong, filho do poderoso presidente do conglomerado Samsung, Lee Kun-Hee.

O tribunal deverá decidir se emite ou não a ordem de detenção do vice-presidente da Samsung Electronics.

Lee Jae-Yong tinha sido interrogado na semana passada durante 22 horas, suspeito de corrupção.

Os investigadores indicaram anteriormente que Lee era considerado suspeito neste escândalo que foi crescendo como bola de neve após o indiciamento no ano passado de Choi Soon-Sil, confidente da presidente e conhecida como a "Rasputina sul-coreana".

Choi Soon-Sil está a ser julgada atualmente por ter utilizado seu relacionamento com a presidente Park para embolsar enormes somas de dinheiro de grandes conglomerado sul-coreanos, que pagaram milhões de dólares a fundações privadas criadas por ela.

A Samsung, o maior grupo industrial do país, foi a mais generosa, doando 20 mil milhões de wons (17 milhões de dólares) às fundações de Choi, à frente de Hyundai, SK, LG e Lotte.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.