Portugal regista hoje mais seis mortos relacionados com a covid-19 do que na sexta-feira e mais 323 infetados, a maioria na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). As mortes foram todas registadas na região de Lisboa.

Os dados da DGS indicam 1.561 mortes relacionadas com a covid-19 e 41.189 casos confirmados desde o início da pandemia.

Em comparação com os dados de sexta-feira, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 0,4%. Já os casos de infeção subiram 0,8%.

Lisboa e Vale do Tejo com 79% das novas infeções

Lisboa e Vale do Tejo (LVT) registou hoje 79% dos novos casos de covid-19, com 255 das 323 novas infeções, com os concelhos de Lisboa, Sintra e Amadora a concentrarem o maior aumento na região relativamente a sexta-feira.

A região de LVT tinha na sexta-feira registado 75,2% dos novos casos, 77% na quinta-feira, 82,2% na quarta-feira, 87% na terça-feira, 63,3% na segunda-feira e 77% dos novos casos divulgados no domingo.

De acordo com o boletim da situação epidemiológica em Portugal divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde, na região de LVT foram reportadas 255 das novas infeções diárias (79% dos casos), havendo, no Centro, mais 24 casos (7%), no Algarve mais 21 (6,5%).

No Alentejo registaram-se 18 novos casos (5,6% do total) e no Norte quatro novas infeções (0,1% dos casos). Na Região Autónoma dos Açores foi reportado um novo caso, enquanto na Região Autónoma da Madeira não há registo de qualquer nova infeção.

Dos seis óbitos registados hoje, todos aconteceram na região de Lisboa e Vale do Tejo.

A região de LVT tem, segundo o boletim, o maior número de casos acumulados, num total de 18.361, a região Norte tem 17.445, o Centro 4.080, o Alentejo 467 e a Região Autónoma dos Açores 149 (os dados das entidades regionais referem 151).

O Algarve tem um total de casos acumulados de 595 e a Região Autónoma da Madeira permanece com 92.

O concelho de Lisboa continua a ter o maior número de casos diários na região e está agora com um total de 3.347, mais 12 do que na sexta-feira, enquanto Sintra está com 2.499 infeções, mais 22 do que na sexta-feira.

Também na Área Metropolitana de Lisboa, Loures tem 1.756 (mais 11), a Amadora está com 1.601 (mais 10), Odivelas com 1.060, Oeiras com 718 e o Seixal com 573 (todos com mais seis casos).

Cascais tem 870 casos (mais dois), Almada 568 (mais sete) e Vila Franca de Xira permanece com 731.

Dos cinco concelhos do Norte com mais casos acumulados, apenas o município de Vila Nova de Gaia reportou um novo caso desde sexta-feira, estando agora com um total acumulado de 1.634.

O Porto permanece com 1.414, Matosinhos com 1.292. Braga com 1.256 e Gondomar com 1.093.

A Direção-Geral da Saúde realça que os números apresentados se referem ao total de notificações médicas no sistema SINAVE (excluindo notificações laboratoriais), pelo que podem “não corresponder à totalidade dos casos por concelho”.

O boletim em detalhe

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde se tem registado o maior número de surtos, a pandemia de covid-19 atingiu os 18.361 casos confirmados, mais 255 do que na sexta-feira.

A região de Lisboa e Vale do Tejo é a que tem maior número de infeções (18.361) e a segunda com maior número de óbitos (463).

O Norte regista 17.445 infeções e 816 mortos, o Centro 4.080 casos confirmados e 248 óbitos, o Algarve 15 mortos e 595 pessoas infetadas e o Alentejo regista quatro mortos e 467 pessoas com covid-19.

Os Açores apresentam 149 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-Cov-2 e 15 mortes, enquanto que a Madeira tem 92 pessoas infetadas e mantém-se sem qualquer óbito registado.

Do total de pessoas infetadas em Portugal, 457 estão internadas, menos 15 do que na sexta-feira. Já o número de doentes internados em unidades de cuidados intensivos subiu para 70, mais três que na sexta-feira.

Na distribuição dos casos infetados por concelhos, Lisboa é o que regista o maior número de casos (3.335), seguido por Sintra (2.477), Loures (1.745), Vila Nova de Gaia (1.633), Amadora (1.591), Porto (1.414), Matosinhos (1.292), Braga (1.256), Odivelas (1054) e Maia (950).

Os dados do relatório da DGS indicam que, do total de mortes registadas até hoje, 781 são mulheres e 780 homens.

Por faixa etária, o maior número de mortes regista-se entre as pessoas com 80 ou mais anos (1.046), seguida pela faixa entre os 70 e os 79 anos (300). Entre a população com idades compreendidas entre os 60 e 69 anos há 143 mortes.

Os dados da DGS registam ainda 50 mortes na faixa etária entre os 50 e os 59 anos, 18 entre os 40 e os 49 anos, duas entre os 30 e os 39 anos e duas na faixa etária dos 20 aos 29 anos.

Relativamente ao total de casos de infeção, os dados apontam que 23.124 são mulheres e 18.065 homens.

A faixa etária mais afetada pela doença é a dos 40 aos 49 anos (6.869), seguida da faixa entre os 30 e os 39 anos (6.541) e das pessoas com idades compreendidas entre os 50 e os 59 anos (6.511).

Nas faixas etárias mais jovens, entre os 20 e os 29 anos, registam-se 5.971 casos e, entre os 10 e os 19 anos, 1.652, enquanto nas crianças até aos nove anos há 1.174 casos.

Segundo a DGS, 37% dos doentes apresentaram tosse, 28% febre, 21% dores musculares, 20% cefaleia, 15% fraqueza generalizada e 10% dificuldade respiratória.

A aguardar resultado laboratorial de testes estão 1.627 pessoas e em vigilância pelas autoridades de saúde estão 31.255.

Desde o dia 01 de janeiro, Portugal registou 375.490 casos suspeitos, refere o boletim, adiantando que há 26.864 pessoas dadas como recuperadas, mais 231 do que na sexta-feira.

A pandemia de covid-19 já matou, pelo menos, 494.337 pessoas e infetou 9,8 milhões em todo o mundo, desde dezembro, em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

(Artigo atualizado às 15:27)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.