“A partir do próximo mês de outubro, vão caducando as convenções que a região tem com laboratórios nacionais, que antes faziam os testes pagos pela região”, explicou o governante, em declarações aos jornalistas, na sequência da reunião do Conselho de Governo, realizada na cidade da Horta, nos Açores.

Segundo explicou o titular da pasta da Saúde, os passageiros que entrem no arquipélago podem optar por “trazer testes pagos por si”, fazerem teste gratuito à chegada ou apresentarem um certificado de testagem, de recuperação ou de vacinação.

Clélio Meneses disse ainda que os Açores vão passar a aceitar certificados digitais da União Europeia, para os passageiros que chegam ao arquipélago, bem como certificados da Organização Mundial de Saúde ou “qualquer certificado de países terceiros, em regime de reciprocidade, ou seja, que também aceitem os certificados nacionais”.

“São alterações que visam também facilitar e adequar aquilo que se passa na região ao que se vai passando no mundo, sendo que na região há um nível de vacinação que garante alguma proteção”, ressalvou o governante, explicando que os passageiros que apresentarem esses certificados ficam “dispensados” de fazerem testes à chegada.

O secretário regional da Saúde e do Desporto lembrou ainda que, na região, já mais de 80% da população está “completamente vacinada” contra a covid-19, razão pela qual é possível agora ir levantando, aos poucos, as medidas restritivas que antes existiam.

Nas últimas 24 horas, foram diagnosticados 20 novos casos positivos de Covid-19 nos Açores, sendo 14 em São Miguel, cinco na Terceira e um no Faial, resultantes de 1.393 análises realizadas em laboratórios de referência, segundo informação da Autoridade de Saúde Regional.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.