"Este é um dos investimentos mais importantes que, neste momento, podemos fazer. Nesta fase de mitigação era absolutamente essencial universalizar ao máximo os testes", apontou Paulo Fernandes numa conferência de imprensa por videoconferência.

O autarca deste concelho do distrito de Castelo Branco salientou que a medida visa dar um "contributo" para que, rapidamente, se possa "desmontar" qualquer situação de contágio nos grupos de maior risco, canalizando todas as energias para a resposta a eventuais situações.

"Quanto mais rápido podermos fazer esse trabalho, seguramente mais contribuiremos para o que possa ser o controlo desta pandemia que nos está afetar de forma tão violenta no nosso país", acrescentou, lembrando que o concelho ainda está numa fase com poucos casos (um sinalizado).

O investimento é de 50 mil euros e os testes começam a ser feitos na terça-feira aos funcionários do lar da terceira idade da Santa Casa da Misericórdia e aos Bombeiros do Fundão, sendo depois alargado a outras instituições.

Ao longo de três a quatro semanas, vão ser realizados 1.500 testes rápidos e o município disponibilizará ainda mais 150 (não rápidos) para gestão da Autoridade de Saúde da Cova da Beira e que estão abertos aos municípios vizinhos da Covilhã e Belmonte.

No que concerne aos testes rápidos, a recolha será feita em colaboração com o pessoal de enfermagem das instituições e nos bombeiros locais e será depois encaminhada para o laboratório privado.

Com a perspetiva de conseguir fazer pelo menos 50 testes diários (volume que poderá chegar ao dobro à medida dos dias), foram definidos critérios de prioridades de acordo com os grupos de risco.

No primeiro grupo estão os funcionários de lares de terceira idade, visto que são as pessoas que têm contacto com o exterior.

No segundo grupo estão os utentes dos lares, com destaque para aqueles que nos últimos 21 dias possam ter tido saídas, nomeadamente aos serviços de saúde.

O objetivo da autarquia é abarcar todos os funcionários e todos os utentes lares de terceira idade do concelho.

No terceiro grupo, que também começa já a ser testado na terça-feira, estão os bombeiros, GNR, profissionais de saúde e funcionários municipais ligados à proteção civil e ao serviço de ação social, que continuam a manter o contacto com munícipes para assegurarem os serviços de apoio e entrega de bens e medicamentos no domicílio.

Paulo Fernandes adiantou ainda que será mantida uma reserva diária de cerca de cinco testes para qualquer outra situação que possa ser sinalizada de forma urgente.

Reiterou ainda a importância desta ação para "reforçar a capacidade de testagem" na Cova da Beira, que, segundo disse, esteve limitada a cerca de dez testes diários até há última semana, tendo entretanto sido reforçada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.