A líder da união municipal de Bournemouth, Christchurch e Poole, Vikki Slade, disse estar "absolutamente horrorizada" com as cenas observadas nas praias, principalmente em Bournemouth e Sandbanks nos últimos dois dias, onde afluíram milhares de pessoas para aproveitar a onda de calor.

O Reino Unido registou esta semana vários dias de sol e temperaturas elevadas, hoje com o dia mais quente do ano, segundo o instituto de meteorologia Met Office, ao registar 33,3 graus centígrados em Londres.

“O comportamento irresponsável e as ações de tantas pessoas são simplesmente chocantes e os nossos serviços são esticados ao máximo a tentar manter todos em segurança. Não tivemos outra escolha a não ser declarar um incidente grave e iniciar uma resposta de emergência”, justificou, num comunicado.

A declaração de um “incidente grave" dá poderes adicionais às autoridades locais e serviços de emergência para resolver os problemas como o estacionamento ilegal, excesso de lixo, comportamento anti-social, engarrafamentos nas estradas e acampamento ilícito.

Slade disse que os serviços estavam "completamente sobrecarregados” e que teve de mobilizar patrulhas policiais adicionais para proteger a recolha de lixo que terão enfrentaram "abuso e intimidação generalizados”.

Foram passadas um recorde de 558 multas de estacionamento e recolhidas 41 toneladas de lixo nos últimos dois dias.

O comandante adjunto da polícia de Dorset, Sam de Reya, urgiu as pessoas a evitarem a região.

"Claramente ainda estamos numa crise de saúde pública e um volume tão significativo de pessoas a dirigir-se para uma área coloca uma pressão adicional nos recursos dos serviços de emergência", enfatizou.

Na terça-feira, o primeiro-ministro Boris Johnson anunciou o levantamento de várias restrições a partir de 04 de julho, autorizando a reabertura de bares e restaurantes e a redução da regra de distanciamento social de dois metros para um metro ou mais, uma medida destinada a facilitar o funcionamento de certos negócios.

O anúncio recebeu algumas críticas porque o Reino Unido continua a registar centenas de novas infeções e mortes diariamente, tendo o cientista Stephen Reicher alertado, num artigo publicado pelo jornal The Guardian, que as novas regras poderão levar a maiores comportamentos de risco.

De acordo com os dados de hoje do ministério da Saúde britânico, foram registadas 149 mortes e 1.118 novas infeções.

O número total de óbitos desde o início da pandemia é 43.230, o mais elevado na Europa e o terceiro maior no mundo, atrás dos EUA e Brasil.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.