Segundo a mesma fonte, o trabalhador em causa, o primeiro caso detetado de contágio pela covid-19 na Autoeuropa, esteve na fábrica na terça-feira e na quarta-feira da semana passada, mas não apresentava sintomas e cumpriu todas as normas estabelecidas para a prevenção da propagação da doença.

Numa informação aos trabalhadores, a Autoeuropa esclareceu, entretanto, que, na sequência de um rastreio efetuado no dia 09 de maio numa unidade hospitalar no concelho de Sintra, a empresa foi informada, no domingo, de que um colaborador da Volkswagen Group Services que se encontra ao serviço na fábrica de Palmela testou positivo à covid-19.

De acordo com a Autoeuropa, o colaborador em causa respeitou todas as indicações de segurança previstas no plano de contingência, pelo que considera tratar-se de um caso de “baixo risco para uma eventual transmissão”.

“A cadeia de contágio não ocorreu na fábrica e de acordo com as orientações técnicas da Direção Geral da Saúde, o paciente é considerado de baixo risco”, refere a informação.

A Autoeuropa adianta que todos os trabalhadores que estiveram em contacto com o colaborador que estou positivo à covid-19 foram contactados pelo departamento médico da empresa, tendo sido informados sobre os procedimentos a seguir, bem como para permanecerem em casa.

“Serão efetuados testes de rastreio a todos estes colaboradores”, sublinha a empresa.

Portugal contabiliza 1.144 mortos associados à covid-19 em 27.679 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais nove mortos (+0,8%) e mais 98 casos de infeção (+0,4%).

Das pessoas infetadas, 805 estão hospitalizadas, das quais 112 em unidades de cuidados intensivos, e o número de casos recuperados é de 2.549.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.