"Os doentes em hemodiálise com suspeita ou confirmação de infeção a SARS-CoV-2 (designação oficial do novo coronavírus) devem ser avaliados em Áreas Dedicadas Covid-19 dos Serviços de Urgência", determinou também a DGS.

O internamento hospitalar deve assegurar o programa de diálise, em isolamento, de acordo com o plano de contingência em vigor em cada unidade hospitalar.

A DGS decidiu ainda que o tratamento de doentes agudos deve ser prioritariamente realizado em unidades hospitalares, "podendo equacionar-se a alocação, temporária e excecionalmente, de doentes crónicos do programa hospitalar em Unidades Periféricas de Hemodiálise, tendo em vista o aumento da capacidade hospitalar".

A orientação da DGS refere ainda que "o transporte múltiplo pode ser utilizado para o transporte de doentes com Covid-19", segundo as medidas de Saúde Pública adotadas

A doença Covid-19, provocada pelo novo coronavírus surgido na China em dezembro de 2019, foi declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como pandemia no dia 11 de março.

Os doentes com Doença Renal Crónica constituem doentes de risco para as complicações associadas à infeção provocada pelo novo coronavírus.

Está previsto que os doentes possam ter "alta precoce". Nestes casos, a unidade hospitalar deve informar a Unidade de Hemodiálise da situação clínica do doente, nomeadamente os resultados dos testes laboratoriais ao coronavírus.

Por outro lado, as unidades convencionadas de hemodiálise devem estabelecer o plano de continuidade de cuidados, que tem de ser garantido em isolamento, "até à determinação de cura por dois testes laboratoriais, separados por 24 horas".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428.000 pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

O continente europeu, com mais de 226.000 infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos. Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 6.820 mortos em 69.176 casos registados até terça-feira.

Em Portugal, há 43 mortes, mais 10 do que na véspera e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela DGS, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira.

Dos infetados, 276 estão internados, 61 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 22 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.