Assim como acontece noutros países, a Espanha suspendeu a chegada de passageiros do Reino Unido no final de dezembro, exceto para nacionais ou residentes estrangeiros em Espanha e Andorra, devido à propagação da variante, mais contagiosa, detetada no Reino Unido.

A porta-voz do governo espanhol, María Jesús Montero disse hoje que é necessário "conter, na medida do possível, os contágios” ligados às variantes.

No início de fevereiro, Madrid tinha decidido limitar as chegadas do Brasil e da África do Sul, também devido às variantes da covid-19 detetadas nestes dois países.

Assim como no caso do Reino Unido, apenas os passageiros provenientes do Brasil e da África do Sul de nacionalidade ou residentes em Espanha ou Andorra podem entrar no país.

No entanto, é feita uma exceção para os passageiros em trânsito, que não estão autorizados a sair do aeroporto e não podem permanecer por mais de 24 horas.

As variantes descobertas no Reino Unido, África do Sul e Brasil são motivo de preocupação para a comunidade internacional, que se interroga, entre outras coisas, sobre o seu grau de contágio e sobre a eficácia das vacinas contra elas.

A Espanha, um dos países europeus mais afetados pela pandemia, com quase 68.000 mortos e mais de três milhões de casos de pessoas contagiadas, também impôs uma quarentena de sete a dez dias a todas as pessoas que chegam do Brasil ou da África do Sul.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.