A notícia, avançada pela agência noticiosa Associated Press (AP), surge numa altura em que o Estado norte-americano mais infetado pela convid-19 está a ser posto em causa pela forma como não conseguiu proteger os residentes mais vulneráveis durante a pandemia.

Segundo um resumo feito segunda-feira à noite pelo governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, pelo menos 4.813 pessoas morreram devido ao vírus em centros de geriatria e em lares de idosos desde 01 de março passado.

Pela primeira vez, este número inclui as mortes de pessoas que se acredita terem ocorrido devido ao novo coronavírus antes de os diagnósticos terem sido confirmados laboratorialmente.

Apesar dos dados mais recentes, o número exato de residentes nos centros de geriatria e nos lares de idosos que morreram continua incerto, uma vez que a lista não inclui os que foram transferidos para hospitais antes de morrerem.

A lista ora revista assinala que 22 centros de idosos, a grande maioria na cidade de Nova Iorque e em Long Island, reportaram pelo menos 40 óbitos, embora haja já a confirmação de mais casos, tanto de infetados como de vítimas mortais, em instituições para seniores, como as comunidades de veteranos de guerra.

A 02 de março último, quando eram poucos os casos associados ao novo coronavírus, o Governador do Estado de Nova Iorque prometeu dedicar uma “atenção especial” aos idosos.

No entanto, Cuomo tem estado a enfrentar várias críticas quanto à forma como tem gerido o apoio aos idosos.

Ativistas ligados aos direitos dos idosos e aos familiares dos residentes nos diferentes centros geriátricos têm apelados a uma “maior transparência” em relação aos casos de covid-19, nomeadamente na forma como não conseguiu garantir a imunização também dos hospitais.

O Estado de Nova Iorque contabilizou, até hoje, mais de 319 mil casos de covid-19, de que resultaram 19.415 mortes.

Os Estados Unidos são o país do mundo com mais mortos (68.934) e mais casos de infeção com o novo coronavírus confirmados (quase 1,2 milhões).

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 251 mil mortos e infetou quase 3,6 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um 1.1 milhões de doentes foram considerados curados.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.