“Estamos a lidar com um crescimento exponencial”, referiu Altmaier, sublinhando que os números atuais eram completamente inimagináveis há três semanas.

Segundo o Instituto Robert Koch (RKI), a Alemanha contabiliza, desde o início da pandemia de covid-19, um total de 449.275 casos de infeção pelo novo coronavírus, dos quais 326.700 já foram considerados curados.

O total de vítimas mortais atribuídas á covid-19 é de 10.098, uma subida de 42 em relação ao dia anterior.

Há, nesta altura, um segundo distrito alemão em confinamento, na região da Baviera, a maior da Alemanha e a segunda com o maior número de casos de covid-19.

Rottal-Inn soma-se a Berchtesgaden, impondo restrições como o encerramento de escolas e jardins-de-infância, e cancelando todos os eventos programados. Os habitantes estão também proibidos de abandonar as suas casas, exceto por razões de força maior, como idas ao supermercado ou ao médico.

Os hospitais e unidades de cuidados intensivos na Alemanha estão novamente a encher-se, levando já a chanceler Angela Merkel a expressar uma grande preocupação com o desenvolvimento da situação no país.

Nas últimas duas semanas, o número de pacientes nos cuidados intensivos duplicou e a falta de profissionais de saúde no atendimento está a revelar-se um dos maiores problemas.

Em declarações hoje ao grupo de comunicação “Funke”, Uwe Janssens, presidente da Associação Interdisciplinar alemã de Cuidados Intensivos e Medicina de Urgência salientou que há “uma falta de pessoal dramática”.

Para esta quarta-feira, está marcada uma nova reunião com a líder do executivo e os primeiros-ministros dos dezasseis estados federados, na qual são esperadas novas medidas de contenção.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.