Desde o início da pandemia que o Governo assegura a distribuição de máscaras nas escolas, e vai fazê-lo novamente no próximo ano letivo.

Em comunicado, a tutela revelou que disponibilizou uma verba de cerca de seis milhões de euros para as escolas voltarem a comprar para o 1.º período este e outros equipamentos, incluindo também produtos de limpeza e desinfeção.

Ainda que o uso de máscara não seja obrigatório para os mais novos, este valor prevê a aquisição de máscaras em número suficiente para incluir os alunos do 1.º ciclo, como já tinha acontecido em março deste ano, acompanhando assim a recomendação da Direção-Geral da Saúde.

Na nota da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), que já foi enviada às escolas, são detalhados os materiais a que os seis milhões de euros se destinam: três máscaras para cada aluno, professor e funcionário, luvas e aventais para os assistentes operacionais, e desinfetante.

"A disponibilização gratuita, a alunos e profissionais, de máscaras e outros equipamentos de proteção individual, bem como de produtos de desinfeção e limpeza – nomeadamente luvas e aventais laváveis e solução antissética de base alcoólica – insere-se no conjunto de medidas de prevenção e mitigação do risco de transmissão da covid-19, que têm permitido garantir a segurança do espaço escolar", sublinha a tutela.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.