"Promovemos a aquisição de 50 ventiladores que virão de Shenzhen (China) nos próximos dias, estamos a tratar naturalmente das questões logísticas de transporte, mas o procedimento contratual está feito", afirmou Rui Moreira aos jornalistas à margem da visita ao centro de rastreio para a doença Covid-19 instalado no Queimódromo.

De acordo com o autarca, "esses ventiladores serão entregues a hospitais: 25 ao Hospital de São João, 20 ao Hospital de Santo António e cinco ao Hospital de Cascais, em articulação com o presidente da Câmara de Cascais".

O independente revelou ainda que "há mais cinco ventiladores que já foram adquiridos por uma empresa privada e que serão entregues ao Hospital de São João".

Aos jornalistas, Rui Moreira referiu que há uma empresa disponível para pagar os ventiladores “se for preciso”.

Segundo o presidente da autarquia, os ventiladores a entregar naquelas duas unidades de saúde do concelho representam “aquilo que foi apresentado pelos dois hospitais como as suas necessidades imediatas”, às quais a câmara está “a tentar prover”.

Na sexta-feira, o presidente da Câmara do Porto anunciou, numa conferência de imprensa via Internet, que estava em contacto com as autoridades chinesas, através do Gabinete dos Assuntos de Hong Kong e Macau, para trazer para o Porto ventiladores novos, produzidos em Shenzhen, máquinas capazes de salvar vidas aos doentes com a Covid-19.

"Entrei também em contacto com os nossos parceiros na China, nomeadamente em Macau e Shenzhen, onde ainda recentemente estive e estabeleci contactos ao mais alto nível, nomeadamente com o Mayor de Shenzhen, a mais tecnológica cidade do mundo. A ideia é podermos importar de Shenzhen equipamentos essenciais para acudir aos infetados em situação aguda, como é o caso de ventiladores que são produzidos naquela cidade chinesa e com certificado europeu", disse.

Um dia depois, a autarquia, na sua página oficial da Internet, garantiu que o presidente tinha já estabelecido "ligação entre Shenzhen e o Hospital de São João para trazer ventiladores da China".

"Neste momento está já identificado o produtor que está disponível para enviar os ventiladores e outro material médico para o Hospital de São João, o que está a ser articulado com o Conselho de Administração daquela unidade de referência", explicou a autarquia.

À data, contactado pela Lusa o Centro Hospitalar Universitário de São João confirmava os contactos com a Câmara do Porto, adiantando que estavam a ser apuradas as necessidades daquela unidade de saúde.

Portugal regista já duas mortes de pessoas infetadas pelo novo coronavírus, de acordo com boletim epidemiológico da pandemia da Covid-19 divulgado hoje pela DGS.

A região Norte é aquela que regista o maior número de casos confirmados (289), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (243), da região Centro (74) e do Algarve (21).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.