“Pedimos a todos para confirmarem sempre com o HDS, antes de tomarem qualquer iniciativa de ajuda”, lê-se num comunicado da administração, que sublinha ter "os seus canais oficiais para fazer a gestão do Hospital”.

Um dos e-mails, enviado para uma farmácia da cidade, intitulado Hospital de Santarém | Apoio Covid19, afirma que, devido às medidas impostas pelo plano de contingência acionado em virtude da pandemia da covid-19, nomeadamente redução de horário e limitação de entradas no bar e refeitório do hospital, não estaria a ser garantida a alimentação a todos os profissionais.

Afirma ainda que “muito em breve” os equipamentos de proteção individual, como máscaras, viseiras, fatos e luvas iriam entrar em rutura e não ser suficientes para todos os profissionais em funções.

O e-mail concluía com um pedido de bens alimentares, produtos de higiene pessoal e equipamentos de proteção individual.

O HDS sublinha a falsidade desta mensagem e alerta para a necessidade de confirmação de pedidos deste género.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 386 mil pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 17.000 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, há 30 mortes e 2.362 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.