Em comunicado a autarquia lisboeta refere que atendendo ao desenrolar da atual pandemia e do período de confinamento e distanciamento social ter inviabilizado os ensaios, a câmara municipal e a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural-, decidiram cancelar a edição de 2020 das marchas populares de Lisboa.

O tema “Amália Rodrigues” transitará para a edição de 2021 das marchas populares, permitindo que todo o trabalho realizado (arcos, cenografia, figurinos), possa ser rentabilizado no próximo ano.

A autarquia anuncia ainda que a edição de 2020 dos casamentos de Santo António, da qual não foi possível realizar entrevistas e selecionar os nubentes, também está cancelada.

As candidaturas para 2020 serão automaticamente consideradas para a edição de 2021.

A decisão surge na sequência de um conjunto de medidas de proteção da saúde pública que a autarquia tem vindo a aplicar desde o dia 11 de março, como o encerramento de eventos e instalações desportivas, culturais, bibliotecas e museus, para reduzir o risco de contágio.

A Câmara Municipal de Lisboa explica que a elevada concentração de pessoas que marca os arraiais populares, é incompatível com a sua realização mesmo num cenário de achatamento da curva de contágio e da diminuição do número de infetados, razão pela qual a edição de 2020 está cancelada.

A decisão da autarquia de Lisboa segue o mesmo caminho que o município do Porto, que cancelou a Festa do São João — um dos mais emblemáticos festejos da cidade.

A autarquia avançou a sua decisão em comunicado. A Festa de São João é — com o Cortejo da Queima das Fitas e a Passagem do Ano — um dos eventos mais emblemáticos da Invicta, atraindo milhares de pessoas para o centro e baixa da cidade.

Na nota, a câmara explica que "toda a programação prevista para esta ocasião, incluindo concertos e outras atividades de animação ficam assim cancelados". As verbas que lhes iam ser destinadas passam agora a estar "alocadas ao esforço do município nas diversas ações de combate ao atual cenário de pandemia".

Do lado de lá do rio, também não haverá festa. Com a pandemia "infelizmente, para durar", a câmara de Vila Nova de Gaia anunciou igualmente o cancelamento das Festas Populares de São João 2020 e do São Pedro da Afurada.

"É certo que o verão poderá trazer alguma atenuante, mas nunca ao ponto de voltarmos de imediato à normalidade. É também certo que todo o tipo de concentrações ou ajuntamentos de pessoas continuará a ser interdito no país. Por isso, e porque importa atempadamente acautelar a vida das pessoas, bem como aspetos organizativos e a informação a todos, determinou-se o cancelamento", esclarece a autarquia, numa nota divulgada também este sábado.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, terá surgido num mercado de animais vivos na China e já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram acima de 57 mil.

Em Portugal, segundo dados de sexta-feira, já morreram 246 pessoas e há 9.886 casos de infeções confirmadas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.