É a maior noite do ano para os portuenses, mas este ano as ruas e congostas da cidade não se vão poder encher de martelinhos, cascatas, balões, alho porro e sardinhadas na madrugada de 23 para 24 de junho. A câmara municipal do Porto decidiu cancelar a Festa de São João, "tendo em conta o potencial de risco para a saúde pública que este evento representa, ao reunir milhares de pessoas nas ruas da cidade."

A informação foi avançada este sábado pela autarquia, em comunicado. A Festa de São João é — com o Cortejo da Queima das Fitas e a Passagem do Ano — um dos eventos mais emblemáticos da Invicta, atraindo milhares de pessoas para o centro e baixa da cidade.

O Porto saiu à rua pelo São João — e trouxe tudo cá para fora, incluindo a martelada nos turistas
O Porto saiu à rua pelo São João — e trouxe tudo cá para fora, incluindo a martelada nos turistas
Ver artigo

Na nota, a câmara explica que "toda a programação prevista para esta ocasião, incluindo concertos e outras atividades de animação ficam assim cancelados". As verbas que lhes iam ser destinadas passam agora a estar " alocadas ao esforço do município nas diversas ações de combate ao atual cenário de pandemia".

A autarquia do independente Rui Moreira reconhece que a decisão "deixa os portuenses e todos os amantes desta grande festa certamente tristes", no entanto é, nesta altura, "a mais prudente, especialmente dada a incerteza de propagação do vírus e das suas consequências".

Do lado de lá do rio, também não haverá festa. Com a pandemia "infelizmente, para durar", a câmara de Vila Nova de Gaia anunciou também o cancelamento das Festas Populares de São João 2020, de organização municipal, do São Pedro da Afurada, bem como todas as outras de caráter privado.

"É certo que o verão poderá trazer alguma atenuante, mas nunca ao ponto de voltarmos de imediato à normalidade. É também certo que todo o tipo de concentrações ou ajuntamentos de pessoas continuará a ser interdito no país. Por isso, e porque importa atempadamente acautelar a vida das pessoas, bem como aspetos organizativos e a informação a todos, determinou-se o cancelamento", esclarece a autarquia, numa nota divulgada também este sábado.

"A cidade voltará mais forte. Vamos todos ficar bem", conclui o município.

Esta manhã, também a câmara de Lisboa cancelou as festas da cidade, dedicadas a outro santo popular, Santo António. Ficam assim desmarcados os casamentos e as marchas populares.

O primeiro grande evento da cidade Invicta a ser cancelado foi a Queima das Fitas, festa académica que celebra o final do ano letivo. Originalmente marcado para o início de maio, foi atirado para 2021, apesar das críticas que pediam um adiamento para outra data mas tardia ainda em 2020.

A decisão da Federação Académica do Porto foi anunciada no dia 17 de março e justifica-se com a segurança e a incerteza quanto ao calendário letivo, numa altura em que todas as aulas presenciais foram suspensas no ensino superior.

O novo coronavírus, SARS-CoV-2, responsável pela pandemia da covid-19, terá surgido num mercado de animais vivos na China, em dezembro, e já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram acima de 57 mil.

Em Portugal, segundo dados deste sábado, já morreram 266 pessoas e há 10.524 casos de infeções confirmadas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.