"Aqui, na região, vamos cumprir o que foi determinado pela autoridade nacional de saúde, que, obviamente, em princípio, irá dar essas orientações à comissão de vacinação regional", disse.

O governante, que falava à margem de uma visita à fábrica de chocolates UAUCACAU, no Parque Empresarial da Ribeira Brava, na zona oeste da Madeira, referiu que a circular nacional sobre o assunto inclui os titulares de órgãos de soberania nas regiões autónomas.

"O senhor primeiro-ministro teve o cuidado, até, de me telefonar ontem [segunda-feira] e dizer que ia ser assim", reforçou.

A informação de que os titulares de órgãos de soberania vão começar a ser vacinados a partir da próxima semana foi divulgada na segunda-feira, após as eleições presidenciais, pela ministra da Saúde, Marta Temido, referindo que essa face da vacinação inclui também profissionais de emergência pré-hospitalar - designadamente bombeiros -, profissionais de serviços essenciais e forças de segurança.

Miguel Albuquerque disse que, na Madeira, a vacinação dos titulares de órgãos de soberania, como elementos do Governo, deputados no parlamento regional ou autarcas, vai começar quando a região receber o próximo lote de vacinas - 14.625 doses -, previsto para o início de fevereiro.

"Acho que é muito importante os presidentes de câmara serem vacinados, acho que é muito importante quem tem poder de decisão estar salvaguardado", afirmou.

Ao contrário da Madeira, a Região Autónoma dos Açores não inclui os titulares de órgãos de soberania na primeira fase de vacinação contra a covid-19, indicou o secretário regional da Saúde, Clélio Meneses, na segunda-feira.

"Entendemos que há populações mais vulneráveis e que precisam mais de ser vacinadas", disse o governante açoriano, referindo que a prioridade na região foram os utentes e profissionais dos lares de idosos.

Miguel Albuquerque insiste, por seu lado, em cumprir a indicação nacional.

"Aqui, na Madeira, vamos cumprir aquilo que foi determinado pelas autoridades nacionais de saúde sem qualquer 'stress'", reforçou.

A vacinação contra a covid-19 em Portugal começou em 27 de dezembro, com profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) diretamente envolvidos na resposta a esta doença, e, entretanto, estendeu-se a profissionais e residentes em lares de idosos e unidades de cuidados continuados.

A Região Autónoma da Madeira iniciou a campanha a 31 de dezembro, com a administração do primeiro lote - 9.750 doses - fornecido pela BioNTech/Pfizer -, que permitiu vacinar 4.785 pessoas, num universo de 200 mil elegíveis.

O Plano Regional de Vacinação Covid-19 estabelece três fases, a começar pela população mais idosa e pelos profissionais do sistema de saúde, público e privado, ao que se seguem as pessoas com comorbilidades e, depois, o resto da população.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.