No seu boletim de informação estatística sobre a pandemia hoje divulgado, o INE indica que na quarta-feira a média de novos casos diários (calculada com base nos sete dias anteriores) era de 1.274, “o valor mais baixo desde o dia 13 de outubro de 2020”.

O INE indica ainda que em 16 de fevereiro “apenas 15 municípios portugueses se encontravam em situação de risco extremamente elevado” (acima dos 960 novos casos por 100 mil habitantes nos 14 dias anteriores), uma descida abrupta em relação à semana anterior, quando havia 115 concelhos nessa situação.

Depois do pico absoluto desde o início da pandemia atingido a 27 de janeiro, dia em que a média de novos casos diários a sete dias atingiu 12.891, começou uma “diminuição acentuada do número de novos casos confirmados”, chegando-se a 24 de fevereiro com 8.917 casos nos sete dias anteriores.

A taxa de incidência nacional no dia 24 de fevereiro era de 227 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, menos de metade do que se verificava uma semana antes, quando esta taxa era de 485 novos casos por 100.000 habitantes.

A Área Metropolitana de Lisboa concentra o maior número de mortes, que entre 18 de janeiro e 14 de fevereiro foi 1,9 vezes superior à média do mesmo período nos cinco anos anteriores, embora o rácio se tenha reduzido em todas as regiões do país nessas quatro semanas.

O número de mortes neste período foi superior ao valor homólogo de referência (média do mesmo período entre 2015 e 2019) em 258 dos 308 municípios portugueses, com valor 1,5 superior à média em 134 municípios.

(Notícia atualizada às 12:38)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.