O conselho de administração do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) refuta as críticas feitas pelo Sindicado dos Médicos da Zona Centro (SMZC) e garante que aqueles profissionais têm formação não só em Suporte Avançado de Vida, como em Transporte de Doentes Crítico.

Segunda-feira, o Sindicato dos Médicos da Zona Centro emitiu um comunicado dizendo haver “médicos sem formação em Suporte Avançado de Vida” a receber doentes emergentes no Hospital de Aveiro.

Aquele sindicato acusou a administração do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) de recorrer a “médicos tarefeiros (contratados a recibo verde) para cumprir as escalas de Urgência Covid, recebendo doentes emergentes, sendo que a sua maioria não tem formação em Suporte Avançado de Vida (SAV)”.

“Este conjunto de médicos “tarefeiros”, muitos deles especialistas, trabalha há muitos anos nos Serviços de Urgência do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, são excelentes profissionais, colaborantes, com vocação nata para a emergência e para a urgência e que, pelo histórico da relação com o CHBV, merecem toda a confiança por parte do conselho de administração, que refuta a forma como são retratados no comunicado do SMZC”, reage a administração hospitalar em nota enviada à Lusa.

O conselho de administração do CHBV considera “extemporâneo” o comunicado daquele sindicato, que está envolvido nas negociações para a reorganização do Serviço de Urgência, e garante que “as escalas têm sido asseguradas e os cuidados têm sido prestados com segurança e qualidade”.

“No CHBV, encetou-se, há já duas semanas, uma negociação com as especialidades habitualmente envolvidas no Serviço de Urgência, e na qual participaram a Ordem dos Médicos e o SMZC. O processo negocial está em curso, estando, de resto, agendada mais uma reunião para quarta-feira”, esclarece o conselho de administração reconhecendo que ainda não foi possível obter consenso.

Portugal contabiliza 1.342 mortos associados à covid-19 em 31.007 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado hoje.

Relativamente ao dia anterior, há mais 12 mortos (+0,9%) e mais 219 casos de infeção (+0,7%).

O número de pessoas hospitalizadas baixou de 531 para 513, das quais 71 se encontram em unidades de cuidados intensivos (menos uma).

O número de doentes recuperados é de 18.096.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.