Só nas últimas 24 horas, o país registou 644 mortes causadas pela doença e 6.482 infeções, elevando o total desde que o primeiro o caso foi diagnosticada, em finais de fevereiro, para 60.254 óbitos e 556.216 casos.

As 60.000 mortes representavam “o cenário catastrófico” antecipado em junho pelo responsável mexicano pelas políticas contra a pandemia, o subsecretário da Prevenção e Promoção da Saúde, Hugo López-Gatell.

As autoridades sanitárias informaram ainda que há 83.146 casos suspeitos à espera do resultados de testes laboratoriais.

A capital mexicana e os estados do México, Guanajuato, Tabasco e Veracruz têm o maior número de casos confirmados desde o início da epidemia, representando, em conjunto, cerca de 40 % do total do país.

O México é o terceiro país do mundo com mais mortes provocadas pelo novo coronavírus, depois dos Estados Unidos e Brasil, e o sétimo com mais casos confirmados, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.