Um dos responsáveis daquela comunidade religiosa e missionária disse hoje à Lusa que estão disponíveis cerca de 35 quartos, que podem ser "de imediato" ocupados pelos profissionais de saúde.

"Uma equipa de leigos já se disponibilizou para ajudar, seja na receção dos profissionais de saúde, seja nas limpezas, seja em tudo o que for preciso", referiu José Maria Cardoso.

A ajuda está a ser articulada com o Hospital da Senhora da Oliveira, em Guimarães, distrito de Braga.

"Nestes tempos difíceis que atravessamos, todos temos o dever de ajudar. E quem merece particular ajuda são aqueles que estão na linha da frente do combate à pandemia", acrescentou José Maria Cardoso.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 210 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.750 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 84.000 recuperaram da doença.

Em Portugal, e segundo dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) relativos a quarta-feira, o número de casos confirmados de infeção era de 642, havendo dois mortos.

Dos casos confirmados, 553 estão a recuperar em casa e 89 estão internados, 20 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de hoje.

A Assembleia da República aprovou quarta-feira o decreto de declaração do estado de emergência que lhe foi submetido pelo Presidente da República com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

O estado de emergência proposto pelo Presidente prolonga-se até às 23:59 de 02 de abril, segundo o decreto publicado quarta-feira em Diário da República que prevê a possibilidade de confinamento obrigatório compulsivo dos cidadãos em casa e restrições à circulação na via pública, a não ser que tenham justificação.

O Conselho de Ministros aprova hoje as medidas que concretizam o estado de emergência proposto pelo Presidente.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.