Numa nota enviada às redações, esta quarta-feira à noite, a Direção-Geral da Saúde (DGS) informou que nas últimas 24 horas foram registados mais oito casos supeitos, cinco no Hospital de São João, no Porto, dois no Hospital Curry Cabral e um no Hospital Dona Estefânia, ambos em Lisboa.

Os novos casos assinalados dizem respeito a oito cidadãos provenientes do norte de Itália: seis são do sexo feminino e dois do sexo masculino; e duas crianças.

Destes oito novos casos, sete dos ainda estão em estudo.

Estas oito pessoas elevam para 25 o número total de casos suspeitos em Portugal, dos quais 18 já deram resultado negativo para o Covid-19.

A DGS acrescenta que, tendo em conta a propagação mundial do Covid-19, é necessário “considerar a hipóteses de importação de casos de doença de cidadãos provenientes da China ou de outras áreas com transmissão comunitária ativa. O risco para a saúde pública em Portugal, de acordo com a informação disponível atualmente, é "considerado moderado a elevado".

A DGS acrescenta que o balanço epidemiológico vai ser feito, a partir de agora, diariamente às 18:00.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de 2.800 mortos e mais de 82 mil pessoas infetadas, de acordo com dados reportados por 48 países e territórios. Das pessoas infetadas, mais de 33 mil recuperaram.

Além de 2.744 mortos na China, onde o surto começou no final do ano passado, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França, Hong Kong e Taiwan.

Além de 2.717 mortos na China, onde o surto começou no final do ano passado, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França e Taiwan.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública de âmbito internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão nos últimos dias.

Em Itália, o país com mais casos na Europa, foram registados 374 casos de infeção e 12 mortes, segundo o balanço atualizado divulgado esta quarta-feira, 26 de fevereiro, pelo Serviço de Proteção Civil.

Uma série de falhas num hospital favoreceu a disseminação do novo coronavírus em Itália, cujo surto afeta as regiões de Lombardia (cuja capital é Milão), Véneto (Veneza), Emilia Romanha (Bolonha), Piemonte (Turim) e Lácio (Roma), na Sicília (Palermo), e Toscana (Florença).

O SAPO24 falou com portugueses e italianos nas zonas afetadas, cujo testemunho pode ler aqui. Apesar do surto, todos os países vizinhos da Itália comprometeram-se a manter as suas fronteiras abertas.

O único caso conhecido de um português infetado pelo novo vírus é o de um tripulante de um navio de cruzeiros que foi internado num hospital da cidade japonesa de Okazaki, situada a cerca de 300 quilómetros a sudoeste de Tóquio.

Em Portugal, quem suspeitar estar infetado ou tiver sintomas - que incluem febre, dores no corpo e cansaço - deve contactar a linha SNS24 através do número 808 24 24 24 para ser direcionado pelos profissionais de saúde.

Entre as recomendações de saúde para evitar infeções estão as seguintes: Lavagem frequente das mãos com detergente, sabão ou soluções à base de álcool; Ao tossir ou espirrar, fazê-lo não para as mãos, mas para o cotovelo ou para um lenço descartável que deve ser deitado fora de imediato; evitar contacto próximo com quem tem febre ou tosse; evitar contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos; deve ser evitado o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos; caso se dirija a uma unidade de saúde com suspeitas de infeção ou sintomas deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.

A Direção-Geral da Saúde ativou os hospitais de Santa Maria, S. José (Lisboa), Coimbra e Santo António (Porto) para validar casos suspeitos de infeção pelo novo coronavírus (Covid-19). Tratam-se de hospitais de referência de "segunda linha" para a contenção da infeção.

A partir desta quarta-feira, 26 de fevereiro, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e o Hospital Curry Cabral, em Lisboa, passaram a poder fazer análises laboratoriais aos casos suspeitos. Até à data, as análises eram feitas no Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, em Lisboa, e, mais recentemente, no Hospital S. João, no Porto. Atualmente existem 2.000 quartos de isolamento nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde.

[Notícia atualizada às 07h55 de 27 de fevereiro]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.