A atual situação epidemiológica no país levou a que Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares (APAH) fizesse cálculos para dois cenários possíveis. No pior, o  mais "pessimista", poderá significar um aumento de 63% face ao que agora se verifica. A notícia é avançada na edição deste sábado do Público.

No último boletim divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) estavam 4.560 camas ocupadas por doentes covid. Na pior das hipóteses, segundo a APAH, na próxima sexta-feira poderão estar 7.449. Mais, na mesma data, Portugal pode cifrar o número em unidades de cuidados intensivos (UCI) em 922 infetados.

"Os dados são alarmantes, como era expectável dado o volume de casos [de infeção] reportados", frisa Alexandre Lourenço, presidente da associação. Esta situação deve-se ao facto de, mesmo no cenário mais "otimista", a APAH considerar que serão precisas 4.500 camas em enfermaria e mais 700 em cuidados intensivos.

Segundo o último boletim epidemiológico da pandemia em Portugal, em relação aos internamentos, o número registado de pessoas hospitalizadas é de 4.560, sendo que destas 622 estão em UCI.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.