De acordo com o relatório diário com o balanço da pandemia, o país contabilizou um total de 28.628 óbitos desde que a doença foi declarada.

Os serviços de saúde espanhóis advertem, no entanto, que a série de dados está em revisão, devido a alterações dos números comunicados pela comunidade autónoma da Catalunha que na quinta-feira não apresentou números, por um “problema de validação”.

Segundo os números divulgados, no total do país há 446 novos casos com a doença, elevando para 234.824 o total de infetados confirmados até hoje pelo teste PCR, o mais fiável na deteção do novo coronavírus.
Os dados diários indicam ainda que, nas últimas 24 horas, foram hospitalizados 123 doentes, aumentando para 124.642 o total de pessoas que até agora precisaram de ser internadas.

As regiões espanholas mais atingidas pela pandemia de covid-19 de Madrid, Barcelona e Castela e Leão passam na segunda-feira à “fase um” de final do confinamento com um alívio das medidas rígidas de luta contra a doença.

Estas regiões, onde está cerca de 30% da população de Espanha, juntam-se às restantes que, desde há duas semanas, já permitiam, por exemplo, a abertura de esplanadas com uma ocupação até 50% da sua capacidade ou a reunião no exterior ou em casa de até 10 pessoas, desde que sejam respeitadas as regras de distanciamento social.

O anúncio deste alívio nas medidas de confinamento foi feito hoje pelo ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, depois de uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros.

O responsável ministerial também revelou que grande parte das restantes regiões espanholas, entre elas as províncias que fazem fronteira com Portugal na Galiza, Estremadura espanhola e Andaluzia, passam à chamada “fase dois” onde se facilita ainda mais a circulação de pessoas, permitindo, por exemplo, a abertura do interior de restaurantes, com certas condições.

O parlamento espanhol aprovou na quarta-feira o prolongamento por mais duas semanas, a partir de domingo e até à meia-noite de 06 de junho, do estado de emergência, em vigor desde 15 de março, com o objetivo de lutar contra o novo coronavírus.

O plano de alívio das medidas de luta contra o novo coronavírus prevê o levantamento gradual do confinamento numa série de fases que deverão terminar em finais de junho, com a chegada a uma “nova normalidade”.

Espanha é o segundo país com mais mortos com a covid-19 por cada milhão de habitantes (598 óbitos), depois da Bélgica (795) e antes da Itália (537), Reino Unido (536) e França (432), numa lista em que os Estados Unidos têm 292 e Portugal 126.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou quase 330 mil mortos e infetou mais de 5,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), paralisando setores inteiros da economia mundial, num “grande confinamento” que vários países já começaram a aliviar face à diminuição dos novos contágios.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.