A medida, anunciada pelo Ministério da Cultura e Desporto de Espanha, é temporária e abrange todas as atividades culturais para o público na capital espanhola, mantendo-se operacionais os serviços internos, adiantou a agência noticiosa Efe.

A decisão de encerramento temporária abrange, entre outros, a Filmoteca Espanhola, os museus do Prado, Rainha Sofia, Museu Nacional Thyssen-Bornemisza e o Museu Nacional de Antropologia.

O encerramento manter-se-á "até novo anúncio" e é decidido como uma medida adicional para restringir a propagação da doença Covid-19, em Madrid, considerada "zona de alta transmissão".

O jornal EL Pais dá conta que, desde a semana passada, se regista "uma notória redução" de afluência de pessoas a espaços de lazer e de cultura.

Espanha registou até hoje, a meio do dia, 47 mortos provocados pelo novo coronavírus (mais 11 do que o anterior) e 2.002 pessoas estão infetadas (mais 363), a maior parte na região de Madrid, segundo a atualização dos números feita pelo Ministério da Saúde.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.300 mortos, em 28 países e territórios.

O número de infetados ultrapassou as 120 mil pessoas, com casos registados em 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 59 casos confirmados.

Face ao avanço da epidemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 10.000 infetados e pelo menos 631 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.