No debate que decorre hoje no parlamento sobre o pedido de autorização da declaração do estado de emergência, o PS, pela voz da líder parlamentar, Ana Catarina Mendes, afirmou que "não é de ânimo leve que na casa da democracia" se vota "a suspensão transitória e parcial do exercício de alguns direitos, liberdades e garantias", nos termos do decreto em análise.

"Os poderes ampliados do Estado devem ser usados com ponderação e proporcionalidade. Confiamos que o Governo usará plenamente dessa ponderação e proporcionalidade", disse.

Para o PS, "a declaração do estado de emergência deverá ser meramente instrumental contra a calamidade de saúde pública", não devendo "nunca ser parte dos problemas" que se enfrenta atualmente.

"Salvar empregos e empresas é por isso tão importante como apoiar os rendimentos de quem trabalha. Como já estamos a fazer", defendeu.

Ana Catarina Mendes defendeu que, neste momento, é preciso "firmeza, mas também equilíbrio".

"Do que não precisamos é de extremismos, por mais populares que eles possam parecer nos tempos que correm", avisou.

Na perspetiva da dirigente do PS, o combate a esta pandemia "requer ponderação, gradualismo e proporcionalidade".

"Agir a tempo e horas é não perder tempo, mas também é evitar precipitações", disse.

O parlamento aprovou hoje o projeto de declaração do estado de emergência que lhe foi submetido pelo Presidente da República com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19.

O projeto foi aprovado pelo plenário da Assembleia da República com sem votos contra e com os votos favoráveis do PS, PSD, PSD, CDS-PP, BE, PAN e o deputado do Chega, André Ventura.

Absteve-se o PCP, os Verdes, a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira e o deputado da Iniciativa Liberal, João Cotrim de Figuereido.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que os contabilizados na terça-feira. No entanto, este número baseia-se na confirmação de três casos positivos nos Açores, mas a Autoridade de Saúde Regional, contactada pela Lusa, sublinhou serem dois os casos positivos na região e adiantou estar em contactos para se corrigir a informação avançada pela DGS, baixando assim para 641.

A nível global, o coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 200 mil pessoas, das quais mais de 8.200 morreram.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.