Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), estes dados são relativos a terça-feira, com a agência internacional a estimar que os números vão continuar a aumentar, à semelhança do que tem acontecido nos últimos dias.

Em declarações feitas na terça-feira ao serviço de notícias ONU News, o representante da UNESCO, Vincent Defourny, referiu que os números disponíveis até então apontavam que mais de 776,7 milhões de crianças e jovens em todo o mundo estavam fora das salas de aulas por causa do novo coronavírus.

Os números divulgados hoje pela UNESCO referem que, até terça-feira, 102 países (incluindo Portugal) tinham todos os estabelecimentos de ensino (incluindo universidades) encerrados a nível nacional. E outros 11 países tinham encerramentos parciais, em zonas específicas dos respetivos territórios.

A UNESCO frisou que a atual situação representa “um desafio sem precedentes” para o setor da educação.

Nas declarações feitas na terça-feira, Vincent Defourny disse que a UNESCO está a trabalhar, juntamente com as autoridades dos países, para procurar soluções que permitam uma aprendizagem à distância e inclusiva.

A UNESCO tem destacado que o encerramento dos estabelecimentos de ensino, mesmo que seja temporário, representa um custo social e económico alto, lembrando, por exemplo, questões relacionadas com a alimentação das crianças, uma vez que muitos menores ficam sem alimentos a que têm acesso na escola.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou, até à data, mais de 194 mil pessoas, das quais mais de 7.800 morreram.

Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 81 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 150 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Depois da China, a Europa tornou-se o epicentro da pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que os contabilizados na terça-feira. No entanto, este número baseia-se na confirmação de três casos positivos nos Açores, mas a Autoridade de Saúde Regional, contactada pela Lusa, sublinhou serem dois os casos positivos na região e adiantou estar em contactos para se corrigir a informação avançada pela DGS, baixando assim para 641.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.