Em comunicado enviado à academia, a reitora, Ana Costa Freitas, indicou que esta decisão, que vigora desde hoje, “partiu da necessidade de responder ao comunicado do Conselho de Ministros”, de quinta-feira.

E enquadra-se ainda nas recomendações para as instituições científicas e de ensino superior, no contexto das medidas extraordinárias do Estado de Emergência, remetido à UÉ pelo gabinete do Ministro da Ciência Tecnologia e Ensino Superior.

Ana Costa Freitas destacou que a suspensão da avaliação presencial é necessária para “garantir um mínimo de previsibilidade das atividades académicas e de funcionamento da universidade”.

O modelo de “avaliação preferencial” na academia alentejana para este 1.º semestre será “o modelo ‘online’ sempre que a tipologia das unidades curriculares/curso o permita”, referiu.

Além disso, em comunicado da universidade enviado hoje à agência Lusa, é indicado que vai ser “fixada uma época extra de exames, em data ainda a definir”.

Esta época extra será destinada aos “estudantes que não tenham condições de saúde para realizar a prova da época normal e/ou a prova de época de recurso e para os exames presenciais”.

“A época extra será agendada assim que as condições pandémicas o permitam, mas nunca antes do final de março”, previu a UÉ.

Quanto aos exames ‘online’ já agendados, vão realizar-se na próxima semana, entre segunda e sexta-feira.

No comunicado, a reitora congratulou-se com “o modo como a academia tem reagido às alterações e sobressaltos de todas estas mudanças”, provocadas pela pandemia de covid-19.

Uma adaptação que “demonstra a maturidade, resiliência e espírito académico”, disse, referindo que, em breve, será tomada uma decisão sobre o funcionamento do próximo semestre.

Já na quinta-feira, uma fonte da UÉ tinha adiantado à Lusa que as avaliações dos alunos marcadas para hoje e para sábado tinham sido suspensas, na sequência das medidas anunciadas pelo Governo para as universidades, face ao agravamento da situação da covid-19.

O primeiro-ministro, António Costa, na quinta-feira, anunciou o encerramento das escolas de todos os níveis de ensino durante 15 dias para tentar travar os contágios pelo novo coronavírus SARS-CoV-2.

No âmbito da “autonomia universitária", são as instituições do ensino superior que “devem adotar as devidas medidas, tendo em conta que alguns dos estabelecimentos estão neste momento em avaliações e poderão ter que reajustar esse calendário de avaliações”, afirmou António Costa.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.075.698 mortos resultantes de mais de 96,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.686 pessoas dos 595.149 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.