Segundo a administração do Cento Hospitalar de Entre Douro e Vouga, de que faz parte o Hospital São Sebastião, a medida foi implementada "na sequência da identificação de um caso positivo de Covid-19" numa utente internada na terça-feira e hoje de manhã identificada como uma estudante de 17 anos residente em Ovar e a frequentar a Escola Secundária da Feira, entretanto encerrada para contenção do contágio.

"Foram prontamente tomadas as medidas de contenção adequadas à situação, nomeadamente as que visaram responder à identificação do risco de exposição específico de cada um dos profissionais que contactaram com a doente. Fruto desse trabalho, foi identificado um elevado número de profissionais do Serviço de Pediatria a quem foi determinada a observância de um período de quarentena de 14 dias a contar da data do último contacto com a doente", adianta a administração em comunicado.

Fonte da unidade disse à Lusa que em causa estão "cerca de 30 profissionais, entre médicos, enfermeiros e assistentes operacionais", pelo que o hospital fica "condicionado em meios humanos para assegurar o funcionamento da Urgência Pediátrica na totalidade das 24 horas do dia".

Até 23 de março, este serviço passará, assim, a estar operacional apenas entre as 08:00 e as 20:00, adianta o comunicado da administração.

Sob orientação de autoridade de saúde nacional, a adoção do regime de quarentena foi complementada com "a limpeza e a desinfeção dos espaços" utilizados pela jovem infetada, acrescenta.

A administração do Hospital São Sebastião alerta que, no horário em que a Urgência Pediátrica estiver encerrada, "os doentes poderão recorrer ao serviço de Urgência Pediátrica do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia e Espinho", sendo que também as unidades de cuidados de saúde primários da região "estão preparadas e com meios reforçados para, nesse período, prestarem o apoio necessário".

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou hoje a doença Covid-19 como pandemia.

A OMS justifica a declaração de pandemia com "níveis alarmantes de propagação e inação".

A pandemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.500 mortos em todo o mundo.

O número de infetados ultrapassou as 124 mil pessoas, com casos registados em 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 59 casos confirmados.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou hoje o número de infetados, que registou o maior aumento num dia (18), ao passar de 41 para 59.

A região Norte continua a registar o maior número de casos confirmados (36), seguida da Grande Lisboa (17) e das regiões Centro e do Algarve (três cada).

O boletim divulgado hoje assinala também que há 83 casos a aguardar resultado laboratorial e 3.066 contactos em vigilância, um aumento face aos 667 divulgados na terça-feira.

No total, desde o início da epidemia, a DGS registou 471 casos suspeitos.

As medidas já adotadas em Portugal para conter a pandemia incluem, entre outras, a suspensão das ligações aéreas com a Itália, a suspensão ou condicionamento de visitas a hospitais, lares e prisões, e a realização de jogos de futebol sem público.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.