Desde março, as autoridades venezuelanas contabilizaram 266 óbitos e 31.381 infeções.

Pelo quarto dia consecutivo, a Venezuela registou mais de mil casos diários da doença causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), de acordo com dados oficiais.

Na quinta-feira, as autoridades registaram 1.281 casos, na quarta-feira 1.150, e na terça-feira 1.138 casos.

Dos casos registados na sexta-feira, 948 são locais e 64 importados, 59 da Colômbia, quatro do Peru e um do Equador, disse.

“Lamentavelmente devemos informar que sete pessoas morreram nas últimas 24 horas (…) são 266 mortos” ao todo, disse Rodríguez, numa comunicação na televisão estatal venezuelana.

Caracas voltou a ser a região do país com mais casos confirmados (221), seguindo-se os estados de Miranda (192), Zúlia (107), La Guaira (76), Anzoátegui (59), Arágua (57), Sucre (54), Bolívar (44), Carabobo (28).

Por outro lado, o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse à televisão estatal que estão a ser aplicadas “cinco modalidades de tratamento” aos pacientes com covid-19, “segundo padrões mundiais, protocolos científicos e internacionais”, graças a alianças construídas com vários países amigos e cientistas.

“Temos mais de dez mil brigadas médicas e sanitárias a percorrer comunidades, paróquias, casa por casa, todos os dias”, sublinhou.

Maduro pediu aos venezuelanos que cumpram as medidas preventivas e explicou que 85% dos pacientes contagiados são assintomáticos e que 16% dos venezuelanos subestimam a covid-19 e pensam que não é grave.

“Temos tratamentos para atender todos os pacientes sintomáticos e assintomáticos”, disse.

O ministro da Saúde venezuelano, Carlos Alvarado, indicou que os doentes com sintomas ligeiros da covid-19 estão a receber Interferon e Azitromicina, enquanto os pacientes com sintomas mais acentuados são também medicados com esteroides e anti-inflamatórios como a dexametasona.

Os casos assintomáticos são tratados com aspirina e vitamina C.

Com 7.972 casos confirmados, o Distrito Capital venezuelano é a região do país com mais pacientes, seguindo-se os estados de Miranda (4.511), Zúlia (4.313), Apure (2.548), Bolívar (1.778), Táchira (1.680), La Guaira (1.516), Sucre (1.356).

As restantes regiões do país registam menos de mil casos confirmados.

As autoridades indicaram ainda que 21.580 doentes foram já consideradas recuperados.

A Venezuela está desde 13 de março em estado de alerta, o que permite ao executivo decretar “decisões drásticas” para combater a pandemia.

Os voos nacionais e internacionais foram restringidos até 12 de setembro e a população está impedida de circular entre os diferentes municípios do país.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 754 mil mortos e infetou quase 21 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.