A assinatura do protocolo entre a CP – Comboios de Portugal e as empresas Barcadouro, Rota do Douro e Tomaz do Douro decorre na Estação Ferroviária da Régua, e conta com a presença do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.

Segundo a CP, o protocolo visa ainda o reforço “da atratividade da marca turística Douro”.

Este acordo ocorre meses depois de os operadores terem criticado o serviço prestado pela empresa pública.

Em agosto, as empresas decidiram substituir o comboio por autocarros como meio de transporte complementar ao barco, após críticas ao “mau serviço” prestado pela CP, uma posição tomada depois de muitas queixas por parte dos clientes que tinham que viajar de pé, apinhados e em carruagens sem ar condicionado.

Entre 20 de agosto e 09 de outubro, o transporte de comboio previsto nos programas foi substituído por autocarros, perspetivando-se, nessa altura, que cerca de 30.000 turistas deixariam de usar a linha ferroviária do Douro durante este período.

Estas empresas fornecem viagens de umas horas a um dia, que podem partir do Porto, do Peso da Régua, Pinhão ou Barca de Alva, e o pacote proporcionava a viagem de regresso de comboio.

Em dezembro, os três operadores turístico fluviais uniram-se novamente para apelar à modernização da linha ferroviária do Douro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.