“Temos tudo preparado. O Serviço Regional de Proteção Civil, o CIVISA [Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica]. Temos todas as forças preparadas”, afirmou José Manuel Bolieiro aos jornalistas, no aeroporto de São Jorge, no início da visita oficial à ilha.

O social-democrata indicou que os voos para São Jorge vão ser reforçados para permitir a saída da população.

“Estamos a reforçar os voos para quem queira e já há manifestações de intenções de saída da ilha de São Jorge. Estamos já a alocar os meios e está tudo preparado. Por isso uma palavra de tranquilização”, apontou.

Questionado sobre se a saída de população é prematura, José Manuel Bolieiro disse compreender a “ansiedade” dos cidadãos e reiterou que “antes excessivo na prudência do que negligente na ação”.

“Esta ansiedade é natural e a saída é prudencial na medida em que os familiares [dos jorgenses] que não estão na ilha de São Jorge estão de braços abertos para receber e acolher. Por isso é até uma metodologia e um método muito bom”, apontou.

Sobre as expectativas para o desenvolvimento da crise sismovulcânica, Bolieiro sinalizou que “tudo pode acontecer”.

“Não podemos ter informação que nos possa ser afirmativa e perentória quanto ao que vai acontecer. Tudo pode acontecer, nada pode acontecer”, declarou.

O município das Velas divulgou os “pontos de referência” (para as pessoas que precisam de transporte), os “pontos de receção” (os destinos finais) e os “caminhos de referência” a utilizar em caso de ordem para evacuação das freguesias de Manadas, Urzelina, Santo Amaro, Velas, Norte Grande e Rosais.

O município acrescentou que o “alerta de evacuação será transmitido através da rádio local, das redes sociais das entidades competentes e também através dos sinos das igrejas”.

A atividade sísmica na ilha de São Jorge “continua acima do normal” e nas últimas horas “foram sentidos 11 sismos”, informou hoje o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA).

Na quarta-feira, o CIVISA elevou o nível de alerta vulcânico na ilha de São Jorge para V4 (de um total de cinco), o que significa “possibilidade real de erupção”.

Perante este cenário, o executivo açoriano recomendou à população com maiores vulnerabilidades da principal zona afetada na ilha de São Jorge que abandone as suas casas.

Também na quarta-feira, a Proteção Civil dos Açores ativou o Plano Regional de Emergência devido à elevada atividade sísmica que se regista em São Jorge desde sábado.

Os planos de emergência municipais dos dois concelhos da ilha, Calheta e Velas, também já foram ativados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.