Entre o Porto e Caminha há um museu: Serralves. A vila raiana faz parte dos fundadores da instituição da Invicta e é no âmbito dessa integração que o Museu Municipal vai agora receber algumas das obras da Secretaria de Estado da Cultura.

Esta exposição “reveste-se de especial significado por reunir obras de alguns dos mais relevantes artistas representados na coleção de Serralves”, explica a Fundação num comunicado.

Peças de nomes como João Vieira, Júlio Pomar, Pedro Cabrita Reis ou Emília Nadal vão agora rumar até à vila alto-minhota. As obras fazem parte da chamada Coleção da Secretaria de Estado da Cultura (SEC), parte dela em depósito no Museu de Arte Contemporânea de Serralves desde a criação da Fundação de Serralves.

António Dacosta, António Palolo, António Sena, Eduardo Batarda, Fernando Lanhas, Joaquim Rodrigo, Jorge Martins, José de Carvalho, José de Guimarães, José Loureiro, José Pedro Croft, Manuel Baptista, Manuel Rosa, Nikias Skapinakis, Pedro Proença, René Bertholo e Rui Sanches são os restantes autores em exposição.

Estas obras demonstram “a importância que a pintura e a escultura tiveram ao longo das décadas de 1960-80 na renovação das linguagens artísticas em Portugal”, explica a Fundação.

Para além disso, “as obras escolhidas atestam os diversos níveis de diálogo e confluência formais que os artistas portugueses souberam estabelecer entre si e com o contexto internacional a partir do pós-guerra”.

O acervo da SEC foi um dos primeiros a juntar-se à Coleção de Serralves, “cimentando uma presença dos artistas portugueses e orientando futuros reforços de obras dos mesmos artistas, com bases para a consolidação do âmbito cronológico na contemporaneidade e nos diversos eixos temáticos a ela associados”, diz ainda a Fundação.

Parte desta coleção ruma agora a Norte, integrada num programa de exposições e apresentação de obras da Coleção de Serralves "especificamente selecionadas para os locais de exposição com o objetivo de tornar o acervo acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.”

Este programa tira as obras dos muros da propriedade na zona ocidental do Porto e põe-nas a percorrer o país, com diferentes exposições em mais de trinta locais e municípios.

O objetivo é cumprir a "missão de apoio efetivo à descentralização da oferta cultural”, numa altura em que a Fundação celebra três décadas.

A exposição será apresentada no Museu Municipal de Caminha esta sexta-feira, pelas 17:30, com a presença de Luis Miguel Alves, presidente do município raiano, e Ana Pinho, presidente da Fundação de Serralves. As obras podem ser visitadas a partir de sábado, 20 de julho, até 20 de outubro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.