A Índia declarou na terça-feira que detetou uma nova variante de interesse do coronavírus SARS-CoV-2, que está a ser designada de “Delta plus”, e referiu que já tinham sido identificados cerca de 20 casos no país, em três estados e, de acordo com o governo indiano, já esta variante estaria em circulação em nove países.

No entanto, a mutação da variante Delta para a qual a Índia veio alertar, dizendo que já estaria presente em países como Portugal e referida como “Delta Plus”, não se trata de uma nova variante.

Ao SAPO24, fonte do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) confirmou que esta variante é “a variante Delta (anteriormente referida como indiana) que sofreu uma mutação adicional (plus), daí ser referida como "Delta Plus", tratando-se assim da variante identificada pela primeira vez na Índia que teve uma mutação adicional [a mutação K417N] e que na altura foi apelidada “nepalesa”.

Neste caso, reporta o Instituto, a variante já se encontrava presente em Portugal há algum tempo. A Delta Plus foi até a causa de o Reino Unido ter removido Portugal da "lista verde",  uma decisão que tinha sido justificada por Grant Schapps, ministro dos Transportes do Governo de Boris Johnson, pela duplicação da taxa de novos positivos em Portugal e por "uma espécie de mutação do Nepal da chamada variante indiana que foi detetada e simplesmente não sabemos o potencial que pode ter para resistir à vacina”.

O relatório dos resultados preliminares de junho, divulgado este domingo pelo INSA, já dava conta de que "os dados agora analisados sugerem ainda que apenas 2.5% dos casos associados à variante Delta apresentam, ainda, a mutação K417N".

"Esta mutação, também associada à variante Beta, anteriormente designada como variante da África do Sul, tinha sido, recentemente, apontada como alvo de vigilância apertada pelas autoridades de saúde do Reino Unido, sendo que Portugal era um dos países onde a mesma tinha sido identificada na variante Delta. Estes resultados sugerem que a
variante Delta com esta mutação adicional não ganhou expressão relevante em Portugal", acrescenta ainda o relatório.

Segundo fonte do INSA, a Delta Plus representará atualmente, pouco mais de 20 casos de infeção dentro da variante Delta.

Na terça feira à noite, no programa "É ou não É" da RTP, o investigador do INSA João Paulo Gomes atualizou os dados da prevalência da mutação Delta, indicando que atualmente já  representa 70% dos casos em Lisboa e Vale do Tejo e já chegou aos 20% na região Norte.

A variante Delta circula em 92 países, em últimos números da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo a líder técnica de resposta à covid-19 na OMS, Maria Van Kerkhove, esta variante, "está a disseminar-se rapidamente" e "tem maior transmissibilidade do que a variante Alpha", inicialmente diagnosticada no Reino Unido.

A Índia bateu esta segunda-feira um novo recorde de vacinação com a inoculação de mais de oito milhões de doses num único dia, segundo dados oficiais citados pelas agências internacionais.

O país, que conta com mais de 1,35 mil milhões de habitantes, administrou no início da semana 8,2 milhões de doses de vacinas, um número que representa o dobro dos valores alcançados até à data, de acordo com os mesmos dados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.