Em comunicado, a polícia grega adianta que a operação, realizada na passada terça-feira e quarta-feira, foi feita em conjunto com a Europol e a agência britânica contra o crime organizado.

Segundo a polícia, foram detidos em Atenas doze estrangeiros, dos quais sete são membros da rede, quatro imigrantes que estavam à espera para sair da Grécia e um cidadão afegão com documentos falsos.

A rede, que operava a partir da região de Atenas e do norte do Iraque, organizava transporte rodoviário de imigrantes para o norte da Europa, pela chamada “rota dos Balcãs”, mas também fornecia documentos falsos e bilhetes de avião para vários países da União Europeia ou destinos mais distantes como o Canadá.

O preço da viagem variava entre os 2.000 e os 10.000 euros de acordo com o destino escolhido pelos imigrantes ilegais, sendo a Suíça, França, Alemanha, Espanha e Suécia os países mais populares na Europa, mas também existiam rotas para o Reino Unido e Holanda.

A polícia grega refere também que a viagem para o Canadá custava cerca de 16.000 euros.

Durante a operação, a polícia também apreendeu 17 passaportes, oito documentos falsos de identidade, bilhetes de avião, telemóveis e 3.400 euros em numerário.

Cerca de 60.000 migrantes e refugiados estão retidos na Grécia desde o encerramento das fronteiras na Europa há mais de um ano.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.