Num comunicado, o BdP adianta que esta subida do endividamento do setor não financeiro se deveu aos aumentos de 2.500 milhões de euros do endividamento do setor público e de 1.500 milhões de euros do endividamento do setor privado.

Do endividamento do setor não financeiro em maio 346.400 milhões de euros eram do setor público e 411.100 milhões de euros do privado, afirma o banco central.

“A subida do endividamento do setor público resultou, sobretudo, dos acréscimos registados no endividamento junto do setor financeiro (1.500 milhões de euros) e no endividamento perante o exterior (800 milhões de euros).

No setor privado, o endividamento das empresas privadas aumentou 1.000 milhões de euros, evolução explicada principalmente pelo financiamento obtido junto do exterior (700 milhões de euros), indica o BdP.

Já o endividamento dos particulares aumentou 400 milhões de euros, refletindo o financiamento obtido junto do setor financeiro.

Em maio de 2021, a taxa de variação anual (tva) do endividamento total das empresas privadas foi de 1,8%, menos 1,0 pontos percentuais do que em abril.

A tva do endividamento total dos particulares subiu para 2,3%, mais 0,4 pontos percentuais do que em abril.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.