"A diretriz que estou a assinar hoje irá reorientar o programa espacial dos Estados Unidos sobre exploração e descoberta humana, marcando o primeiro passo no retorno dos astronautas norte-americanos à Lua, pela primeira vez desde 1972", afirmou Trump, numa cerimónia na Casa Branca.

Trump enfatizou que, desta vez, os EUA não só colocarão a bandeira e deixarão a sua marca na Lua, mas também estabelecerão "uma base para uma eventual viagem a Marte".

"Imaginem a possibilidade que nos espera naquelas bonitas e enormes estrelas se nos atrevermos a sonhar grande. Isso é o que nosso país está a fazer de novo, estamos a sonhar grande", acrescentou o Presidente.

Donald Trump estava acompanhado no ato pelo diretor interino da Agência Espacial Norte-Americana (NASA), Robert Lightfoot; por Peggy Whitson, a primeira mulher astronauta que foi comandante na Estação Espacial Internacional; e pelo vice-Presidente dos Estados Unidos, Mike Pence.

A última vez que os Estados Unidos enviaram uma missão tripulada fora da órbita terrestre foi em 1972, na Apollo 17, na qual dois de seus astronautas - Eugene Cernan e Harrison "Jack" Schmitt - realizaram três caminhadas na superfície da Lua.

O próprio Schmitt, de 85 anos, também esteve presente no evento, 45 anos depois de sua caminhada na Lua.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.