Existem novos dados sobre as relações de Donald Trump e a China. De acordo com um artigo publicado pelo New York Times, o presidente norte-americano tentou durante uma década fazer negócios no país.

Trump terá inclusivamente aberto um escritório e iniciado uma parceria com uma empresa controlada pelo regime de Pequim. Segundo aquela fonte, que escreve ter tido acesso às declarações fiscais de Trump na China, o presidente, antes de ser eleito, terá chegado efetivamente a pagar mais de 153 mil euros em impostos, entre 2013 e 2015.

A China é um dos três países — os outros são o Reino Unido e Irlanda — onde Trump tem contas bancárias através de uma rede de hotéis.

O advogado da Organização Trump, em resposta ao Times, confirmou que a empresa tinha "aberto uma conta num banco chinês com escritórios nos Estados Unidos a fim de pagar os impostos locais" associados aos esforços para fazer negócios naquele país, além de esclarecer que a empresa abriu a conta depois de estabelecer um escritório na China "para explorar o potencial de negócios hoteleiros na Ásia".

Em setembro, o mesmo jornal já tinha noticiado que o presidente dos Estados Unidos terá pago apenas 750 dólares (645 euros) em impostos federais em 2016, ano em que ganhou as eleições presidenciais.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.