Jalal Belaidi tinha responsabilidades militares na organização jihadista Al-Qaeda na Península Arábica (AQPA). O ataque de drone ocorreu na zona de Maraquesha, na província de Abyan, acrescentou a mesma fonte.

Uma outra fonte confirmou a morte de Belaidi, depois de entrar em contacto com os milicianos da AQPA. Na península arábica apenas os Estados Unidos têm drones.

Os ataques deste tipo não cessaram no Iémen, apesar da guerra entre a rebelião xiita pró-iraniana e as forças pró-governamentais, apoiadas por uma coligação militar regional liderada pela Arábia Saudita. Na noite de quarta-feira, outro ataque de um drone americano matou seis alegados membros da Al-Qaeda, na província próxima de Shabwa, no sudeste do Iémen, indicou um responsável dos serviços de segurança.

Belaidi nasceu em Abyan e serviu como líder da Al-Qaeda na cidade de Zinjibar, capital da província, mas subiu na hierarquia do grupo jihadista até se tornar chefe militar.

Desde março de 2015 que os jihadistas sunitas da Al-Qaeda e do Estado Islâmico têm aproveitado a desordem criada pelo conflito em andamento para reforçarem posições no sul do Iémen. A Al-Qaeda controla Zinjibar e a cidade próxima de Jaar, e os seus homens circulam livremente pelas províncias de Hadramut, Shabwa e Abyan.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.