“O que realmente ontem [terça-feira] aconteceu foi o fim da cerca sanitária” nas freguesias de Longueira-Almograve e São Teotónio, porque as medidas restritivas “não foram revogadas” pelo Governo, esclareceu o presidente do município, José Alberto Guerreiro.

A cerca sanitária nas freguesias de São Teotónio e Longueira-Almograve, no concelho de Odemira, distrito de Beja, foi levantada às 00:00 de hoje, depois do anúncio feito, na terça-feira, pelo primeiro-ministro, António Costa, numa cerimónia naquela vila.

Segundo o autarca, que falava aos jornalistas em Odemira, com o fim da cerca sanitárias nas duas freguesias ainda “houve alguma confusão de interpretação” sobre se as medidas restritivas também eram levantadas.

Assim, explicou, as freguesias de Longueira-Almograve e São Teotónio vão manter as regras da primeira fase de desconfinamento, nomeadamente, no caso do comércio, a venda ao postigo e o ‘take away’.

José Alberto Guerreiro admitiu que esperava que as medidas fossem levantadas com o fim da cerca sanitária, prevendo agora que o Conselho de Ministros possa revogar as restrições na quinta-feira.

A decisão do Governo em relação ao levantamento da cerca sanitária “podia ter ido mais além” e aplicar “medidas iguais” às do concelho “ou, no mínimo, diferenciadoras, porque Longueira-Almograve não tem casos nesta altura”, referiu.

Segundo o presidente do município, atualmente, o concelho de Odemira tem “51 casos ativos” e “um índice de 250 casos por 100 mil habitantes”.

Quanto às duas freguesias que estiveram com cerca sanitária, adiantou, “Longueira-Almograve continua com zero casos há quatro dias”, enquanto São Teotónio tem uma incidência de “570 casos por 100 mil habitantes”.

Sobre o número de trabalhadores agrícolas realojados, por viverem em condições de sobrelotação e insalubridade, o autarca precisou que, atualmente, encontram-se “13 pessoas” na Pousada da Juventude de Almograve e outras “15” no complexo turístico Zmar.

“O objetivo é que durante o dia de hoje ainda possam haver algumas colocações em alojamentos definitivos com a colaboração das empresas”, disse.

A cerca sanitária em Longueira-Almograve e São Teotónio foi decretada pelo Governo, em Conselho de Ministros, no dia 29 de abril e entrou em vigor no dia seguinte, devido à elevada incidência de casos de covid-19, sobretudo em trabalhadores do setor agrícola, muitos deles imigrantes.

Na terça-feira, em Odemira, o primeiro-ministro indicou que o Governo recebeu, nesse mesmo dia, uma comunicação do coordenador de saúde pública do Litoral Alentejano a dar conta de que “a maior parte” dos casos atuais de covid-19 corresponde “a cadeias de transmissão já identificadas”, que não há transmissão comunitária e a propor o fim da cerca.

António Costa frisou que, nos cerca de 15 dias em que vigorou a cerca sanitária, este território registou uma “diminuição muito significativa do ritmo de transmissão”, mas alertou que a decisão do Governo “não significa que o problema tenha desaparecido”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.